Andaluzia se integra ao movimento pelo envelhecimento ativo | ILC BRASIL – Português

0

sony-dsc

“Há mais pessoas com mais de 60 anos hoje no mundo do que a soma de todas as pessoas que já atingiram esta idade ao longo da história. Se isso não é uma revolução, não sei o que é!”, disse Alexandre Kalache ao abrir sua conferência na Escola Andaluz de Saúde Pública (Escuela Andaluza de Salud Pública – EASP), onde é professor associado. Além da atividade docente na Espanha e em universidades de outros países, Kalache é co-presidente da Global Alliance of International Longevity Centres (ILC) e presidente do Centro Internacional de Longevidade Brasil (ILC-BR). O programa da Jornada “Envejecimiento Activo y Saludable +50” começou com a boas vindas do diretor da EASP, Juan Carlos March, que destacou alguns aspectos da conferência de Kalache, como “ser preciso saber que coisas a fazer para o futuro, para que a cidade seja amiga do idoso e que o meio ambiente e o entorno sejam favoráveis e não barreiras, como adicionar vida aos anos, como superar as desigualdades sociais, quais os papéis dos serviços sociais e da saúde.” Indicou, ainda, esses pontos como parte do debate para os grupos de discussão que se seguiriam à conferência. Ao passar a palavra para Alexandre Kalache, o diretor pontuou a “importância de ajudar Andaluzia, a Espanha e o mundo para a implantação de estratégias de envelhecimento ativo”. Segundo Juan Carlos March, a expectativa da EASP é propor um conjunto de propostas voltadas à melhoria da vida das pessoas idosas. Alexandre Kalache apresentou o Marco Político do Envelhecimento Ativo (Active Ageing Framework), publicado em 2002 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – quando era diretor do Departamento de Envelhecimento e Curso de Vida – e lançado em 2015, revisado e atualizado pelo ILC-Brasil. Disponível aqui vídeo da conferência.